História

Quem Somos

«A Ordem dos Frades Menores (OFM), fundada por São Francisco de Assis, é uma fraternidade em que os Irmãos, seguindo mais de perto a Jesus Cristo sob a ação do Espírito Santo, se consagram totalmente a Deus como a seu amor supremo pela profissão, vivendo o Evangelho na Igreja segundo a forma observada e proposta por São Francisco» (CCGG 1)

 

Fazendo parte das chamadas Ordens Mendicantes, os Franciscanos procuram levar uma vida radicalmente evangélica em «espírito de oração e devoção». Por outro lado é sua tarefa primordial dar testemunho de conversão e minoridade pregando, por palavras e por obras, a reconciliação, a paz e a justiça.

 

Os Frades Menores, também chamados de Franciscanos, são uma fraternidade de irmãos clérigos e leigos, isto é, de irmãos sacerdotes e não sacerdotes, com iguais direitos e obrigações, vivendo no dia a dia os votos de pobreza, castidade e obediência. Organizam-se em Províncias autónomas, espalhadas por todo o mundo, sob os auspícios de um Governo Geral, sedeado em Roma, que anima os irmãos na fé.

 

Levando à sua plenitude a consagração batismal e em resposta ao chamamento divino, os Franciscanos entregam-se totalmente a Deus como a seu amor supremo pela profissão de obediência, pobreza e castidade, que hão de viver segundo o espírito de São Francisco de Assis.

 

Pelo voto de obediência, os Franciscanos, no seguimento de Jesus Cristo «que pôs a sua vontade na vontade do Pai», colocam a sua vontade nas mãos dos seus superiores, procurando atingir a maturidade e a liberdade dos filhos de Deus.

 

Pelo voto de pobreza, os Frades Menores, seguindo a Jesus Cristo que «por nós se fez pobre neste mundo», renunciam ao direito de propriedade e confiam-se à providência do Pai Celeste.

 

Pelo voto de castidade, os irmãos levam uma vida célibe «por causa do Reino dos Céus», a fim de pensarem nas coisas do Senhor de coração indiviso e de, numa vida evangélica e fraterna, amarem «o Senhor Deus com todo o empenho, com todo o afeto, com todo o sentimento, com todo o desejo e afeto.

 

Por outro lado, os Franciscanos não têm uma tarefa determinada na Igreja, se entendermos por isso setores precisos e exclusivos de ação pastoral. Eles não foram constituídos para uma Obra específica, nem para fazer uma ação pastoral determinada. Segundo as necessidades das diferentes épocas eles fundam e cuidam de lugares de peregrinação, assistem hospitais, assumem paróquias, constroem e lecionam em escolas, animam campos de jovens, editam livros, revistas e jornais, cuidam dos mais pobres e marginalizados.